quarta-feira, 29 de março de 2017

The time in my mind

O tempo às vezes é como um corvo que se infiltra nas minhas entranhas. Tento lutar e isso apenas me enfraquece. Noutras vezes o tempo é como um dente-de-leão que pousa suave em meus dedos. Há tanto para fazer e tenho apenas horas, dias, alguns anos. Tanto para ver e tão pouco tempo para conseguir. O tempo é um lembrete de que devemos fazer as coisas genuinamente para os próximos que virão. Ou será que dá tempo de aproveitar? Antes eu pedia para minha mãe "só mais 5 minutos no parquinho" ou "só mais 5 minutinhos na cama". Hoje em dia eu mesma me monitoro. Infelizmente tenho que acordar de noite todos os dias. Se isso for a idade adulta, não quero me tornar adulta por completo! Sabe o que o tempo me faz? Encurta meus telômeros, me envelhece. O tempo é real? Isso aconteceu? Creio que o passado foi de várias formas das quais não lembro. E veja só, quando você recebe essa mensagem, o que eu faço agora? Eis um mistério até para a protagonista da trama.

sábado, 25 de março de 2017

As Brumas de Avalon

Gostaria de avisar à todos que uma postagem muito necessária sobre Páscoa virá em breve. Eu tentei escrevê-la várias e várias vezes, sem êxito. Mas no momento certo eu a terei terminado e a publicarei.
Continuo no clima das ciências humanas. Agora estou estudando geomorfologia de acordo com as vídeo-aulas de cursinhos famosos como Descomplica e Stoodi. 
Acabei de ler o volume 2 de As Brumas de Avalon. Não é nada mais que a história do rei Artur sob a perspectiva feminina, e eu amo esses livros sobre cavalaria, magia e costumes antigos de terras bem distantes daqui.Tudo me surpreendeu, minha personagem favorita é Morgana-a irmã do rei- e o final possivelmente não me deixará dormir esta noite. RECOMENDADO. A propósito, fui ao cinema no dia 17/03 para assistir ao live action "A Bela e A Fera", no qual Bela (Emma Watson) menciona um dos principais romances do livro: Gwenhwyfar e Lancelote. A vida na corte não era muito conveniente para as mulheres. Ansiosa para ler o volume 1,3 ,etc. O porém é que eu tenho até "O Manifesto do Partido Comunista-Marx" para ler. Pensamento positivo, isso é tudo o que alguém de humanas quer.
Estude, no caso.

quinta-feira, 23 de março de 2017

Conflitos na região da Caxemira

Hoje eu vou falar um pouco sobre os conflitos na região da Caxemira, de forma bem sucinta.
A Caxemira é uma região ao norte da índia que é disputada pela índia, pelo Paquistão e já teve a presença da China. Atualmente a Caxemira é parte oficial da índia, porém o Paquistão reivindica a Caxemira como seu território devido ao seguinte fato: a índia é um país essencialmente hinduísta, mas a Caxemira é de maioria muçulmana, assim como o Paquistão. Em suma, o Paquistão alega que a Caxemira deveria se parte do seu território por conta dessa semelhança cultural. Mas é válido ressaltar que o mundo atual é capitalista e que os interesses "mascarados" são econômicos e políticos, não puramente culturais. A Caxemira é muito rica em recursos hídricos, tanto que abriga as nascentes dos rios mais importantes da índia e do Paquistão; e especula-se que lá exista muito petróleo também.
Ficha:
Tipo: Diferenças étnicas e disputas pela divisão de fronteiras nacionais

O que chama a atenção do mundo: O fato de que índia e Paquistão detêm bombas atômicas, a índia tem um arsenal bélico mais avançado que o do Paquistão, porém este poderia contar com o apoio de outros países muçulmanos.

E a paz? Em 1972, houve o Acordo de Simla que estimulou a negociação pacífica para o problema da Caxemira. Mas no fim dos anos 1990, sobreveio uma nova onda de hostilidades entre Índia e Paquistão nas fronteiras da Caxemira por meio de manobras militares e ameaças de retaliação. Se você clicar aqui verá notícias atuais sobre embates na região da Caxemira.



Importante: Durante a Guerra Fria, a índia apoiou bem indiretamente a URSS e o Paquistão aos Estados Unidos. A índia faz divisa com o Tadjiquistão, então União Soviética, o que contribuiu para a ideia de "Cortina de Ferro".Após o ataque às torres gêmeas, em 2001, os Estados Unidos aumentaram suas relações com o Paquistão, já que este faz divisa com o Afeganistão, suposto local de origem dos ataques.

Viu só?Não falei que eram interesses políticos e econômicos?

quarta-feira, 22 de março de 2017

Por que eu gosto da área de Humanas

Sempre tive facilidade com todas as matérias. Fico muito feliz por isso.Eu escrevo poemas e sou boa em matemática. Interpreto textos mas uma coisa tem puxado meu pé à noite: Redação. Eu tenho tirado notas razoáveis no Enem, mas eu preciso melhorar. Eu sei que posso fazer melhor. Estudando algumas redações nota mil do passado, percebi que as pessoas da área de Humanas tem muita facilidade com a bendita prova escrita. Então eu quero ser de humanas. Nos últimos anos eu tenho sido o meio-termo, mas justamente agora que eu quero ser de humanas,as ciências exatas se tornam um amor comigo. Gosto de História e de Matemática. Geografia me ensina muita coisa e Física também. Apenas Geografia tem me chateado, e a matéria probabilidade. Eu quero ser de Humanas e escrever bem! Então notei estas características:
- A área de Humanas envolve muita leitura. é só texto. Não há cálculos ou fórmulas nas ciências humanas.
-Essa área estimula o pensamento crítico e faz com que o aluno crie opiniões e argumentos. Os debates de filosofia podem ajudar a embasar um argumento na Redação!
-Os temas abordados pelo Enem e vestibulares em geral, são temas sociais. Sociedade = conjunto de humanos. Relações humanas = estudadas pelas ciências humanas. (Você deve ter percebido que minhas definições foram de exatas)
Ou seja, Humanas é o que pode nos ajudar a obter nota máxima. Viva a área de humanas! Vamos estudar história, geografia, sociologia, filosofia, economia, etc. Aliás, eu tenho mesmo que estudar Geografia, pois como uma boa pessoa de humanas, eu devo recuperar minha nota na próxima prova.

P.S.: Eu NUNCA deixarei as ciências exatas, pois eu as amei e elas me amaram de volta.Agora eu amo as humanas e sinto um clima de romance entre nós.




Hoje é dia de Treinar Redação - Introdução

Na verdade eu preciso terminar um capítulo de "As Brumas de Avalon". Em seguida devo estudar os conflitos da Caxemira e somente então devo estudar redação, que afinal, é uma matéria como todas as outras. Espero seguir minhas próprias dicas sobre redação e melhorar. É nesse tipo de momento que me bate uma vontade de ser de humanas...
Ideias para iniciar uma redação

1. Fazer uma apresentação direta do seu ponto de vista em relação ao tema proposto, o que vai se tornar o seu argumento básico.(DECLARAÇÃO)
Ex: “ A convivência com um dependente de álcool ou drogas, além de todos os seus reveses, também pode se tornar um vício poderoso, uma doença. Mães, mulheres e irmãos de dependentes costumam assumir para si a tarefa de conservar a ovelha negra da família. Quando dão por si, passaram a viver em função do problema alheio. Ora se comportam como salvadores, ora assumem o papel de vítima, ora cooperam e alimentam ainda mais o vício.”

2. Apresentar o tema, através de uma indagação a respeito do que ele traz.(QUESTIONAMENTO)
Ex: “Será que existem fatos que confirmam a inferioridade de certas raças estacionadas durante o processo evolutivo, a meio caminho entre o animal e o homem? Por que admitiríamos, no plano individual, a existência de gênios e retardados e tememos fazê-lo no plano racial?”

3. Definir o tema a ser questionado.(DEFINIÇÃO)
Ex: “A gíria é um patrimônio comum, é um instrumento de comunicação que parece imprescindível. Sobretudo, para a juventude. Até mesmo as gerações que a condenavam acabaram por assimilar algumas expressões de maior ocorrência”.

4. Citar dados da História. (ALUSÃO HISTÓRICA)
Ex: “Desde que aprendeu a manejar o fogo e a roda, o homem passou a gerar uma força produtiva, a qual desencadeou as invenções, as conquistas e o progresso. Mas essa produtividade prejudicou o relacionamento entre os povos, assim como entre patrão e empregado, no domínio pela tecnologia e na exploração da mão-de-obra.”

5. Expor o ponto de vista oposto, com a finalidade de combatê-lo durante o desenvolvimento.(CONTRASTAR)
Ex: “Na medida em que a caça é proibida no Brasil, não se pode admitir a existência de uma Associação Brasileira de Caça nem de lojas de caça e pesca. Um novo capítulo da Constituição Brasileira proíbe essas atividades. Caça não é esporte, porque esporte pressupõe igualdade de condições entre os contendores, um conhecimento prévio de ambas as partes das regras do jogo, e a existência de um juiz que faça cumprir essas regras”.

6. Utilizar dados estatísticos.(DADOS)
Ex: “A cada ano que passa, mil crianças morrem por dia debaixo do céu brasileiro. Morrem de doenças para as quais a medicina criou uma infinidade de nomes, todos sinônimos de um só mal: fome, subnutrição”.

Créditos: www

segunda-feira, 20 de março de 2017

Músicas Atuais com Características Simbolistas

Olá leitor(a), bem-vindo(a) ao meu trabalho de Literatura. O conteúdo da postagem de hoje será sobre músicas de caráter simbolista. Espero que esteja certo. Em breve falarei mais sobre o tema. Aqui estão algumas músicas:

Beatriz
Chico Buarque

Olha 
Será que ela é moça 
Será que ela é triste 
Será que é o contrário 
Será que é pintura 
O rosto da atriz 
Se ela dança no sétimo céu 
Se ela acredita que é outro país 
E se ela só decora o seu papel 
E se eu pudesse entrar na sua vida 

Olha 
Será que é de louça 
Será que é de éter 
Será que é loucura 
Será que é cenário 
A casa da atriz 
Se ela mora num arranha-céu 
E se as paredes são feitas de giz 
E se ela chora num quarto de hotel 
E se eu pudesse entrar na sua vida 

Sim, me leva pra sempre, Beatriz 
Me ensina a não andar com os pés no chão 
Para sempre é sempre por um triz 
Aí, diz quantos desastres tem na minha mão 
Diz se é perigoso a gente ser feliz 

Olha 
Será que é uma estrela 
Será que é mentira 
Será que é comédia 
Será que é divina 
A vida da atriz 
Se ela um dia despencar do céu 
E se os pagantes exigirem bis 
E se o arcanjo passar o chapéu
E se eu pudesse entrar na sua vida

A Bela e a Fera
Chico Buarque
  
Ouve a declaração, oh bela
De um sonhador titã
Um que dá nó em paralela
E almoça rolimã
O homem mais forte do planeta
Tórax de Superman
Tórax de Superman
E coração de poeta

Não brilharia a estrela, oh bela
Sem noite por detrás
Tua beleza de gazela
Sob o meu corpo é mais
Uma centelha num graveto
Queima canaviais
Queima canaviais
Quase que eu fiz um soneto

Mais que na lua ou no cometa
Ou na constelação
O sangue impresso na gazeta
Tem mais inspiração
No bucho do analfabeto
Letras de macarrão
Letras de macarrão
Fazem poema concreto

Oh bela, gera a primavera
Aciona o teu condão
Oh bela, faz da besta fera
Um príncipe cristão
Recebe o teu poeta, oh bela
Abre teu coração
Abre teu coração
Ou eu arrombo a janela

O Rio
Ana Carolina

Eu vou atravessar o rio a deslizar
Que me separa de você
O tempo atravessa em meu lugar
E deixo pra depois o que eu tinha que fazer
O destino aceito sem dizer sim ou dizer não
Sem entender

E fica a sensação de saber exatamente porque menti
Eu sei de onde vim e pra onde irei 
ie, ie, ie, ie, ie
Mas com você eu fico sem saber onde estou
Nós dois que sequer nos parecemos
E não cabemos num mesmo espelho
Mas nos olhamos toda manhã
A ferrugem mesmo pouca
Corrói os trilhos
As ruas nos atravessam
Sem olhar pro lado
Estou em você

E fica a sensação de saber exatamente porque menti
Eu sei de onde vim e pra onde irei 
ie, ie, ie, ie, ie
Mas com você eu fico sem saber onde estou
Eu vou atravessar o rio a deslizar
Que me separa de você

O tempo atravessa em meu lugar
E fica a sensação de saber exatamente porque menti
Eu sei de onde vim e pra onde irei 
ie, ie, ie, ie, ie
Mas com você eu fico sem saber onde estou
Eu vou atravessar o rio a deslizar
Que me separa de você

Luz Dos Olhos
Nando Reis

Ponho os meus olhos em você
Se você está
Dona dos meus olhos é você
Avião no ar
Um dia pra esses olhos sem te ver
É como chão no mar
Liga o rádio à pilha, a TV
Só pra você escutar
A nova música que eu fiz agora
Lá fora a rua vazia chora...

Pois meus olhos vidram ao te ver
São dois fãs, um par
Pus nos olhos vidros pra poder
Melhor te enxergar
Luz dos olhos para anoitecer
É só você se afastar
Pinta os lábios para escrever
A sua boca na minha...

Que a nossa música eu fiz agora
Lá fora a lua irradia a glória
E eu te chamo, eu te peço: Vem!
Diga que você me quer
Porque eu te quero também!

Passo as tardes pensando
Faço as pazes tentando

Te telefonar

Cartazes te procurando
Aeronaves seguem pousando
Sem você desembarcar
Pra eu te dar a mão nessa hora
Levar as malas pro fusca lá fora....

E eu vou guiando
Eu te espero, vem...
Diga que você me quer
Porque eu te quero também
E eu te amo!
E eu berro: Vem!
Grita que você me quer
Porque eu te quero também!
Hei! Hei!...
Análise: Há melancolia no trecho  "Faço as pazes lembrando / Passo as tardes tentando/ Te telefonar" e caráter transcendental, pois a realidade é vista através de uma "névoa", sob a "luz da lua",basicamente é como se o eu lírico estivesse em uma atmosfera embaçada.

Libertar
Sandy & Junior

Libertar
Devolver ao mundo
Libertar
Conhecer
O ser humano a fundo
Libertar

Se há luz no horizonte
Se há vida em cada olhar
Conhecer, libertar
Se o coração se esconde
Tem medo de amar
Libertar e viver

Ser livre pra voar
Ser livre pra sentir
O amor que a lua ensinou
Ser livre pra mostrar
Que o céu é logo ali
Ser livre, ser o que sonhou

Meu destino é ser feliz
Nisso eu quero acreditar
Fazer tudo o que eu não fiz
Lutar por um lugar
No mundo e conseguir

Compare essa última músicacom os poemas a seguir:

Livre!
Cruz e Sousa

Livre! Ser livre da materia escrava,
Arrancar os grilhões que nos flagelam
E livre, penetrar nos Dons que selam
A alma e lhe emprestam toda a etérea lava.

Livre da humana, da terrestre bava
Dos corações daninhos que regelam
Quando os nossos sentidos se rebelam
Contra a Infâmia bifronte que deprava.

Livre! bem livre para andar mais puro,
Mais junto à Natureza e mais seguro
Do seu amor, de todas as justiças.

Livre! para sentir a Natureza,
Para gozar, na universal Grandeza,
Fecundas e arcangélicas preguiças.

 Cárcere das  almas
Cruz e Souza

Ah! Toda  alma  num cárcere anda  presa
Soluçando nas trevas, entre as grades
Do calabouço olhando imensidades,
Mares, estrelas, tardes, natureza.

Tudo se veste de igual grandeza
Quando a alma entre grilhões as liberdades
Sonha e, sonhando, as imortalidades
Rasga no etéreo Espaço da Pureza.

Ó almas presas, mudas e fechadas
Nas prisões colossais e abandonadas
Da Dor no calabouço, atroz, funéreo!

Nesses silêncios solitários, graves,
Que chaveiro do Céu possui as chaves
Para abrir-nos as portas do Mistério?!

Análise:No poema  acima, o cárcere é  utilizado  para  simbolizar o corpo que representa uma prisão para a alma (“Toda alma num cárcere anda presa”). O eu lírico exprime seu desejo de transcender o corpo físico e superar os  limites  impostos ao ser humano, como se  pode  observar  nos versos “Que chaveiro do Céu possui as chaves/ Para  abrir-nos as portas do Mistério?!”. Note, ainda, que  o desejo de  superar  a  prisão física  é reforçado  em “Quando a  alma entre grilhões as  liberdades / sonha e,  sonhando, as imortalidades/ Rasga no etéreo Espaço da Pureza.” 
O  poema representa a concepção mística da vida –  uma característica típica do Simbolismo – e sugere que  nenhuma alma  é feliz. Tal  sugestão  é  apresentada por meio de  metáforas (“Toda alma num  cárcere anda presa”; “Ó almas presas, mudas, fechadas / nas  prisões colossais e abandonadas”). É bom  lembrar que  uma das   principais características do Simbolismo é a subjetividade; assim,  o  eu lírico  exige do leitor a   percepção de  que  o  cárcere é  utilizado  como   uma representação desse sentimento de  angústia que permeia  todo o texto.
 Créditos: www