segunda-feira, 4 de setembro de 2017

A perdição

Ao amigo que sofre em silêncio, mas não em segredo

Tua angústia
Teu medo
Tua boca não precisa se mover
Tão bem te conheço

Seus lábios tremem
Eu já sei

Eu sei

Sou arrogante e digo que sei
Ela era tão acolhedora
Acolheu-me também
Nunca pensei muito sobre ela

Você vive por ela.
Ela te mata.
O cândido abraço dela enforca

Sinto muito pelo seu amor
Amor e ódio são a mesma linha tênue
Você de um lado, ela de outro.

Não dá para largar essa devoradora,
É simplesmente teu norte
Um norte que te orienta
Mas você prefere a perdição.

E eu tam

Nenhum comentário: